Primeiros resultados do “Destralhe de Maquiagem”

Querida amiga,

Hoje estou muito feliz. Já comecei a ver os resultados do projeto Destralhe de Maquiagem. Terminei enfim, a base da Natura Una e um batom da mesma marca. Já estou usando a outra base da mesma marca que tinha guardado. Foi uma sensação maravilhosa de ver que terminei essa base antes do vencimento, fiquei me sentindo mais leve e menos culpa por ter gastado sem necessidade. Imagino como será quando eu tiver destralhado tudo e ter apenas o essencial.

Uma coisa que me propus a fazer é ficar SEIS MESES SEM COMPRAS. Isso mesmo! São seis meses. Vou comprar apenas o que for essencial, exemplo: remédios, almoço quando eu não tiver como levar marmita, repôr um shampoo que tiver acabado… Coisas assim. Nada de comprar coisas apenas para aproveitar promoção ou estocar “pra quando precisar”. Sei que não é fácil, mas hei de conseguir!

Por que eu me propus a fazer isso? Por dois motivos. Primeiro: Porque sou uma compradora impulsiva, como você bem sabe. Muitas vezes acabo comprando coisas que não preciso de imediato ou que talvez nem chego a precisar. Também costumo comprar coisas supérfluas, as quais eu poderia perfeitamente passar sem elas. Ex: chocolate, coca-cola, revistas, livros. Quando estava organizando minhas coisas juntei vários recibinhos de compras e vi que só em Novembro de 2013 eu gastei mais de R$ 50,00 nessas quatro coisas que listei anteriormente. E olha que são os recibos que eu achei! Imagina os que já tinha jogado fora.

Segundo: Ganho pouco e passo muita raiva no trabalho pra ver aquele salário suado ir embora apenas pagando contas. Não quero mais ser aquela pessoa que só recebe para repassar pra bancos e administradoras de cartões de crédito. Quero poder diminuir minhas contas pelo menos em 50% do que são hoje. Será um processo ao longo desse ano, pois tenho várias compras que foram parceladas no cartão de crédito. Mas o fato de não fazer novas compras vai me ajudar a quebrar esse círculo vicioso.

Por que apenas seis meses? Seis meses eu considero um tempo bom para me fazer esse “detox de compras“. E além do mais se eu propor a ficar o ano todo sem gastar não poderei poderei viajar pra sua casa nas férias. Hahahaha…

Uma coisa que fiz para me ajudar a ter controle dos gastos é um “caderno de recibos”. Peguei um caderno que não estava usando e agora estou colando todo recibo de compras. Até mesmo se for na padaria de manhã e comprar dois pãezinhos para comer no trabalho vou colar o recibo ali. Assim eu terei controle de pra onde está indo o meu dinheiro e também para “inibir” as compras supérfluas. As despesas que não dão recibo eu vou anotar no caderno o dia, o valor e o no que foi gasto. Ex: Quando eu for cortar meu cabelo, vou anotar que no dia 20 gastei R$ 20,00 num corte de cabelo. Simples assim.

Também não é porque estou em contenção de gastos que vou ficar desleixada. Agora que larguei as luzes e estou pintando o cabelo todo, já vou economizar bastante. Pra ter uma ideia, a última vez em que fiz luzes eu paguei R$ 180,00 dividido em duas vezes no cartão de crédito. Agora pra pintar eu gastei um total de R$ 30,00 sendo a tinta e a mão-de-obra somadas. Ou seja: ficou um sexto do valor que eu pagava antes. Já vai ser uma economia boa.

Bom e por hoje é só. Aguardo seu testemunho da sua parte do destralhe em breve.

Beijos e até a próxima!

Advertisements

Destralhe

Querida amiga,

Você já deve ter percebido que estou nessa “onda” de destralhe. Mas depois que descobri as vantagens de ter uma casa livre de tralhas, como não aderir a este estilo de vida?

Tenho lido muitos blogs sobre organização e além do destralhe, que é essencial, tenho lido muito sobre minimalismo e frugalismo. O minimalismo consiste em ter o mínimo de coisas, o essencial para viver. O frugalismo consiste em ter coisas mais simples, mais baratas. Um exemplo disso é que o estamos fazendo com as nossas maquiagens: pra que comprar uma base caríssima da marca X, se a marca Y que não é tão famosa faz o mesmo efeito e é bem mais barata?

O melhor conceito que li sobre isso está no blog Felina na Cidade:

Ser frugalista é ser “uma pessoa que valoriza aquilo que tem, que não desperdiça os seus recursos materiais, independentemente  da quantidade, e acima, de tudo, da qualidade. Significa dar valor aquilo que já se possui, procurando extrair o máximo de utilidade das coisas em seu redor”. No fundo é ser simples, simples no sentido de ser consciente daquilo que se compra e daquilo que realmente se necessita. Ou seja, é ter um comportamento selectivo e consciente.

De certa forma, meus pais me criaram num estilo mais frugal. Nem eu nem meus irmãos aprendemos a valorizar coisas em que outros vêem status como roupas e sapatos de marca. Agora sinto que estou caminhando mais ainda para este lado. Abro meu armário e fico pensando: pra que tantos livros, tantas maquiagens, tantas bijuterias?

E o destralhe está caminhando mais ainda graças a esta “revisão de conceitos”. Fizemos nosso inventário de maquiagens. Anotamos quantas bases, batons e outras coisas de maquiagens temos. E a partir deste inventário combinamos de fazer um propósito de usar todas as maquiagens que temos e comprar somente o necessário. Nada de ter 23 batons, 4 bases, 4 primers, entre outras coisas. Não quer dizer que quando acabar todas as maquiagens que estão em excesso usarei maquiagens de lojinhas de “1,99” que só estragam a pele. Mas também não irei a uma MAC pagar uns R$ 80,00 num simples batom.

Agora estou olhando para meus livros e já pensando em fazer um destralhe. Doarei a maioria para biblioteca lá do trabalho. Tem uns 23 livros que comprei e não li ainda! Fora os que já li uma vez e dificilmente lerei novamente. Começarei a partir desta segunda a levar alguns livros para doação. E darei um jeito de ler os que estão pendentes para liberá-los para seguirem seu rumo. Até Dezembro quando irei te visitar espero ter doado os 23 livros que estão para serem lidos. Vou guardar para mim apenas o que tem valor sentimental e doar o resto. Depois que eu ler e destralhar os livros, darei preferência a baixa-los ou comprar apenas em versão digital que ocupa menos espaço.

Os primeiro quatro livros que serão doados serão:

  • O Príncipe – Maquiável
  • A Megera Domada – William Shakespeare
  • O Guia do Mochileiro das Galáxias – Douglas Adams
  • O Restaurante no Fim do Universo – Douglas Adams

Beijos e até a próxima!

E o ano começou…

Querida amiga,

É com uma certa estranheza que eu volto ao trabalho depois de uns 40 dias de férias (emendei meus 30 dias com os feriados de natal/ano e o plantão no trabalho). Apenas metade dos funcionários está trabalhando hoje. Tudo parece tão tranquilo sem todo o pessoal na sala. Posso ouvir música sem fone (num volume baixo, é claro). Meu trabalho ainda não está rendendo como de costume, deve ser porque não me acostumei ao ritmo laboral. 

Eu coloquei como meta para mim mesma este ano tentar ser menos ansiosa e consumista. A ansiedade é algo que sempre me corroeu, mas estou tentando melhorar. Leio blogs inspiradores e principalmente tentando me valorizar mais. Exemplo: Por que ficar se matando pra correr com o serviço se eu não ganho por produtividade? Não estou enrolando o serviço, mas não me desespero para colocar tudo em dia. Eu sei bem que se eu morrer hoje, colocarão alguém para me substituir amanhã sem problemas e de nada adiantará ter se esforçado tanto.

Quando retornei vi que L. (a coleguinha que prepara materiais para mim) deixou três prateleiras cheias de materiais para trabalhar, cada uma com três bolos de papeis. Normalmente eu já ficaria calculando quando conseguiria terminá-los e pôr tudo em ordem. Ficaria nervosa com isso, comeria um chocolate para “me acalmar” e ficaria trabalhando feito louca, inclusive no horário de almoço. Agora não. Ao chegar de manhã organizei a sala de maneira que ficasse funcional para mim, peguei um dos montes de papeis e comecei a trabalhar neles.

Ontem um dos rapazes do departamento financeiro trouxe outra demanda de trabalho para mim, eu só olhei e continuei trabalhando com o que estava fazendo. Antigamente, teria parado imediatamente de fazer o que estava fazendo pra dar prioridade ao serviço enviado pelo departamento financeiro. Agora não, continuei o que estava fazendo (o que levou o dia todo) e só hoje peguei o trabalho do financeiro para fazer. E em vez de estar trabalhando no meu horário de almoço estou bebendo um chá de morango e escrevendo neste blog.

Quanto ao consumismo, estou tentando resistir bravamente. Hoje tive vontade de comprar uma lâmpada melhor para colocar no banheiro do meu departamento, mas consegui me conter. Só vou comprar remédios ou repôr algo que houver terminado. Sem stress e sem compulsão. Fui à farmácia e comprei apenas os remédios que minha mãe encomendou e um meu que tinha acabado. Nada além disso! Já foi uma vitória em se tratando de mim.

Beijos e até a próxima!